Digite sua palavra-chave

post

O Papel da Fisioterapia no Pós-operatório de Abdominoplastia: Uma Revisão Bibliográfica

O Papel da Fisioterapia no Pós-operatório de Abdominoplastia: Uma Revisão Bibliográfica

Introdução

A busca cada vez maior pelo corpo perfeito, vem impactando no aumento significativo pela procura de procedimentos estéticos. Dentre vários tipos de intervenções cirúrgicas na área, a abdominoplastia vem sendo a melhor descoberta recente de cirurgia plástica para indivíduos que apresentam gordura localizada, flacidez decorrente de grande emagrecimento ou gravidez múltipla, flacidez aponeurótica, diástase abdominal e abaulamentos e hérnias (MACEDO et al, 2011).

A abdominoplastia consiste na retirada de tecido subcutâneo excedente na região do abdome, através de uma incisão supra-púbica com transposição do umbigo e com plicatura dos músculos reto-abdominais. Esta por sua vez, vem sendo associada a uma lipoaspiração, com a intenção de proporcionar retirada de excesso de gordura por meio de finas cânulas, possibilitando uma redefinição global do tronco (SOUSA et al, 2010).

Tem sido descrito na literatura várias complicações dessa cirurgia, dentre as quais se destacam: hematomas; seromas; cicatrizes hipertrófica, hipotróficas e queloideanas; retrações; infecções; fibrose; aderência; hiperpigmentação cutânea; embolia gordurosa e perfurações abdominais. Porém, várias dessas complicações podem  ser evitadas na maioria dos casos pela correta indicação da cirurgia e por cuidados específicos no pré e pós- operatório pela equipe multidisciplinar, incluindo o fisioterapeuta (MIGOTO et al, 2013).

O objetivo do presente estudo é verificar p papel da fisioterapia no pós-operatório de abdominoplastia.

Materiais e métodos

Foi realizada uma revisão bibliográfica, foram incluídos artigos publicados entre 2007 e 2020 com intuito de analisar e padronizar informações mais atualizadas.

De acordo com a resolução nº 466/2012 do conselho nacional de saúde, por se tratar de uma revisão da literatura, não existe obrigatoriedade de submissão ao comitê de ética e pesquisa. Como palavras-chaves, serviram de busca: abdominoplastia, pós-operatório, fisioterapia, cirurgia plástica. As buscam foram realizadas nas bases de dados Pubmed, Lilacs, Bireme e Scielo.

Foram utilizados filtros para artigos publicados entre 2007 e 2020. Os descritores foram combinados da seguinte forma, utilizando o recurso advanced search: abdominoplastia + pós operatório + fisioterapia + cirurgia plástica.

A partir da busca, os trabalhos duplicados foram excluídos. Os resumos dos artigos encontrados foram lidos e os que não se adequavam ao tema deste trabalho, também foram excluídos. Os que continuaram a partir dessas exclusões, foram incluídos na revisão após serem lidos completos.

Discussão

A indicação de cirurgias estéticas reparadoras acontece quando existe um moderado ou grande excesso de gordura ou pele localizada na região abdominal. No pós-operatório, o fisioterapeuta avaliará vários fatores que possam estar relacionados a disfunções estéticas e funcionais da paciente. Os tópicos mais importantes dessa avaliação são: reconhecimento dos problemas da cirurgia, identificação do tipo e profundidade dos tecidos envolvidos,
cicatrização, reconhecimento das contra-indicações e a escolha do melhor tipo de tratamento (SILVA et al, 2010).

A intervenção precoce no início do pós-operatório de abdominoplastia favorece a reabilitação e otimização dos resultados dos procedimentos cirúrgicos, acelerando o processo de retorno às atividades de vida diária dos pacientes (DA SILVA et al, 2014). O recurso mais utilizado em pacientes no pós-operatório de abdominoplastia foi a drenagem
linfática manual juntamente com o ultrassom, seguido da radiofrequência (DA SILVA et al, 2012).

A cicatrização tecidual é um processo complexo que envolve atividade local e sistêmica do organismo. A intervenção precoce com laser e ultrassom em feridas cirúrgicas, ajuda na redução da lesão com uma melhor qualidade da cicatriz (MEYER et al, 2011). O tratamento fisioterapêutico no pós-operatório de mamoplastia e abdominoplastia contribui no reparo da cicatriz, acelera o processo de cicatrização, reduz e previne aderências e edemas e age de maneira preventiva nas alterações posturais causadas por cicatrizes decorrentes de cirurgias plásticas (ANTUNES et al, 2008).

Nos casos de pós-operatório de abdominoplastia, torna-se importante a realização de fisioterapia dermato-funcional por constituir uma terapia potencializadora para redução não só do edema, mas também do risco de complicações pós-cirúrgicas. A diminuição do edema pode ser evidenciada pela perimetria da região abdominal antes e depois do tratamento (COUTINHO et al, 2007).

Torna-se cada dia mais necessário que os fisioterapeutas que trabalham com cirurgias plásticas se conscientizem que, além da estética, deve haver uma preocupação com a reabilitação do paciente para que ele retorne o mais breve para suas atividades. Por meio de todos os recursos disponíveis na fisioterapia, é possível minimizar alterações funcionais no pós-operatório e isso torna a fisioterapia praticamente obrigatória nesses casos (DE MATOS et al, 2008).

O tratamento fisioterapêutico realizado por técnicas de reeducação postural global na após a abdominoplastia para correção da postura exerce discreta influência positiva, porém a satisfação corporal e qualidade de vida não apresentam melhora (OLIVEIRA et al, 2014). O linfotaping tem sido utilizado pela fisioterapia no pós-operatório de abdominoplastia por meio de bandagens elásticas neurofuncionais que aumentam a circulação do sistema linfático,
permitindo assim que novos vasos se abram diminuindo o acúmulo de líquido, melhorando a textura da pele, reduzindo edemas e aderências (PEREIRA et al, 2016).

A frequência de encaminhamentos de pacientes feitos por cirurgiões plásticos a fisioterapeutas é de 40% e 90% nos períodos pré e pós-operatório, respectivamente. O conhecimento dos benefícios da fisioterapia e dos recursos que o fisioterapeuta disponibiliza para realizar seus atendimentos no pré-operatório ainda são reduzidos, comparando com o pós-operatório (FLORES et al, 2011).

Ao se optar por realizar uma cirurgia plástica, é necessário que o paciente tenha consciência dos cuidados que devem ser tomados no pós-operatório e de possíveis complicações que podem ocorrer nesse período.

É notável que a fisioterapia exerce um papel importante no pós-operatório da abdominoplastia, sendo possível usar de várias técnicas para que os pacientes retornem o mais breve as suas atividades de vida diária.

Referências

ANTUNES, Marcele Melgarejo; DOMINGUES, Carla Agne. As principais alteracções posturais em decorrência das cicatrizes de cirurgias plásticas. ConScientiae Saúde. V.4, p.509-517, 2008.

COUTINHO, Mariana de Morais; DANTAS, Rafaela Barbosa; BORGES, Fábio dos Santos; DA SILVA, Inês Cristina. A importância da atenção fisioterapêutica na minimização do edema nos casos de pós-operatório de abdominoplastia associada à lipoaspiração de flancos. Revista Fisioterapia Ser. V.4, 2007.

DA SILVA, Rodrigo Marcel Valentim; TAVARES, Luana; FONSECA, Welyda Tavares. Avaliação da fibrose cicatricial no pós-operatório de lipoaspiração e/ou abdominoplastia. Revista Catussaba. V.3, 2014.

DE MATOS, Catiane Brum; STROHSCHEIN, Dalton Augusto; MARQUES, Franciele Zorzo. Fisioterapia no pré e pós-operatório de pacientes de cirurgia plástica e abdominoplastia. Revista da Saúde do Instituto Cenecista. V.1, p.45-54, 2008.

DE OLIVEIRA, Thlaita; TASCHETI, Thauana Garóffalo; MENDONÇA, Adriana Clemente. Influência da reeducação postural global na postura, satisfação corporal e qualidade de vida após abdominoplastia: relato de caso. Saúde. V.3, p.471-476, 2015.

FLORES, Alice; DE BRUM, Karla Oliveira; DE CARVALHO, Rogério Mendonça. Análise descritiva do encaminhamento médico a tratamentos fisioterapêuticos dermato-funcionais nos períodos pré e pós operatório de cirurgias plásticas cosméticas. O mundo da saúde. V.4, p.408-414, 2011.

MACEDO, Ana Carolina; OLIVEIRA, Sandra Mara. A Atuação da Fisioterapia no Pré e PósOperatório de Cirurgia Plástica Corporal: Uma Revisão de Literatura. Cadernos da Escola de Saúde. V.1, 185–201, 2011.

MEYER, Patrícia; RÉGIS, Afonso; DE ARAÚJO, Higor, ABY-ZAYAN, Ruy. Protocolo fisioterapêutico para o pós operatório de lipoaspiração. Ter Man. V.9, p.569-575, 2011.

MIGOTTO, Julie; SIMÕES, Naudimar DiPetro. Atuação fisioterapêutica dermato-funcional no pós-operatório de cirurgias plásticas. Rev Eletrônica Gestão&Saúde. v 4, 2013.

PEREIRA, Mirian dos Santos; DOS SANTOS, Maira Daniela. Efeitos da aplicação do linfotaping como técnica coadjuvante no pós-operatório de cirurgias plásticas abdominais. Visão Universitária. V.2, p.159-176, 2016.

SILVA, Débora. A fisioterapia dermato-funcional como potencializadora no pré e pósoperatório de cirurgia plástica. Fisio&Terapia. V.5, p.13-15, 2010.

SOUSA, Priscila Dantas Leite. Dermolipectomia Abdominal (Abdominoplastia). Revista Fisioterapia Ser. 2010.

TACANI, Mutti Pascale; TACANI, Eduardo Rogério; MACHADO, Aline Fernandes Perez; PERONI, Alani Eleutério. Perfil clínico de pacientes atendidos em fisioterapia assistencial à cirurgia plástica: análise retrospectiva. ConScientiae Saúde. V.2, p.290-297, 2013.

 

Artigo publicado em: 15/04/2021



Conteúdo Relacionado

Sem comentários

Adicione seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Open chat
Olá! Seja bem-vindo(a). Se tiver alguma dúvida, me procure. Estou a disposição para te ajudar.