Digite sua palavra-chave

post

A Importância da Estimulação Precoce em Neonatos Pré-termo

A Importância da Estimulação Precoce em Neonatos Pré-termo

INTRODUÇÃO

Os recém-nascido pre-termo (RNPT) são expostos diariamente a muitos estressores, da unidade de terapia intensiva neonatal, inerentes aos cuidados críticos que precisam para sobreviver. A maneira e a intensidade da exposição variam de acordo com a condição e resposta de cada bebê. Já foi demonstrado que essa exposição leva a mudanças estruturais e funcionais em áreas específicas do cérebro, afetando seu desenvolvimento, linguagem e comportamento sócio-emocional e adaptativo.

A melhoria tecnológica na área de cuidados perinatais permitiu grandes realizações para a sobrevivência de recém-nascidos prematuros. As Unidades de Cuidados Intensivos Neonatais (UTIN) ajudaram a reduzir as taxas de mortalidade neonatal, especialmente para recém-nascidos prematuros e de baixo peso (SMITH et al., 2011).

Como sabemos, este grupo de recém-nascidos é mais provável que apresente comprometimento do desenvolvimento motor (FERNANDES, 2012). Assim, a avaliação do desenvolvimento neuromotor de recém-nascidos prematuros assumiu maior relevância e as medidas de intervenção para esses bebês podem ser úteis para prever o desenvolvimento a longo prazo (SMITH, 2011).

Hallal et al (2008) e Urzêda et al (2009) definem a estimulação precoce como um conjunto de ações que tendem a proporcionar à criança as experiências sensório-motoras de que esta necessita desde o seu nascimento, para desenvolver, ao máximo, seu potencial neuropsicomotor.

Hallal et al (2008) defende ainda que quanto mais cedo começar essa intervenção, preferencialmente antes dos 3 anos de idade, maiores são as chances de prevenir/e ou minimizar sequelas futuras.

Apesar da necessidade explícita de avaliação e monitoramento desses pacientes, parece ser um desafio a identificação precoce de lactentes com atrasos e déficits sutis no desenvolvimento motor, já que essas mudanças se tornam mais evidentes ao longo do tempo. Para avaliar o desenvolvimento neurológico, uma das escalas mais utilizadas no Brasil é a Alberta Infant Motor Scale (AIMS), que avalia o desempenho motor dos bebês tanto do risco quanto aqueles com desenvolvimento típico.

No entanto, deve-se notar que a avaliação adequada deve ser apenas o ponto de partida para intervenções antecipadas e oportunas. Vários autores sugerem que, para recém-nascidos prematuros e de baixo peso, as intervenções de fisioterapia proporcionaram benefícios significativos (MENDES et al., 2012).

Para Urzêda et al (2009) para esse bebê alcançar o seu potencial maximo do desenvolvimento neuropsicomotor é importante a presença de pessoas e objetos, em quantidade e oportunidades adequadas e em um contexto de situações de variada complexidade, que geram certo interesse.

Para o sucesso de tais ações, recomenda-se que as intervenções sejam desenvolvidas com a participação das famílias, abordando o contexto social delas e incentivando o desenvolvimento de habilidades, além de reuniões com profissionais de saúde. Isso promove um atendimento abrangente para fornecer um plano terapêutico participativo e co-responsável. Nesse sentido, os encontros do fisioterapeuta com famílias de bebês prematuros devem valorizar o contexto interdisciplinar e devem ser permeados com muita interação e criatividade (FERNANDES et al., 2011).

OBJETIVO

Atualização na literatura sobre o tema da importância da estimulação precoce fisioterapeutica em neonatos pre-termo.

MATERIAIS E METODOS

Revisão biblíografica nas bases de dados: Scielo, Periódicos CAPES e LILACS com as seguintes palavras chaves e sinônimos em inglês: neonato ¨neonate¨, fisioterapia ¨ physiotherapy¨, estimulação precoce ¨early Stimulation¨, Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Levou-se em consideração para esta pesquisa os artigos e teses publicados entre 2003 e 2017 para melhor atualização sobre o tema.

RESULTADOS

Os resultados encontrados na pesquisa justificam a inclusão de fisioterapeutas nas clínicas ambulatoriais para recém-nascidos de alto risco. Tais serviços são cada vez mais consolidados como instâncias para apoiar a UTIN, fornecendo um atendimento continuado para aqueles recebidos no período neonatal. As ações coordenadas e interdisciplinares das clínicas ambulatoriais juntamente com o apoio familiar, podem interferir positivamente com a qualidade de vida dos bebês nascidos prematuramente e suas famílias . A este respeito, é necessária uma equipe multidisciplinar capaz e integrada. As próprias ações fisioterapêuticas devem ser concentradas no controle postural e na coordenação dos movimentos, de modo a proporcionar aos bebês prematuros maior velocidade no processo de aquisição de habilidades para que eles atinjam, o mais cedo possível, as mesmas habilidades de bebês nascidos a termo.

DISCUSSÃO

O estudo de Pinto et al (2017) que buscou verificar o desempenho motor dos neonatos que foram submetidos a um programa de intervenção precoce a partir de três avaliações. A partir da pesquisa, percebeu-se que os neonatos apresentaram na primeira avaliação um desempenho regular, na segunda foi evoluído para boa e na terceira manteve o mesmo resultado. Os autores concluíram que aqueles neonatos que iniciaram mais cedo o programa foram os que apresentaram uma melhor evolução.

Já o estudo de Silva (2017) demonstrou que a prematuridade é considerado como o maior fator de risco para o aparecimento das alterações no desenvolvimento motor do neonato. A autora reitera que tal problema é de saúde pública e que necessita de um pouco mais de atenção por parte da sociedade.

De forma geral, Silva (2017) discorre que a atuação do fisioterapeuta é de suma importância para essas crianças, pois, busca promover a harmonia no desenvolvimento motor dos bebes prematuros. Logo, pode-se afirmar que houve uma determinada melhora na psicomotrocidade, controle motor e consequentemente, acabou estimulando a relação entre o neonato e a sua família.

A partir do estudo de Lemes (2017) percebeu-se que a prematuridade faz com que exista algum tipo de alteração no desenvolvimento motor de um sistema que ainda é considerado imaturo. E é nessa perspectiva que torna-se indispensável a fisioterapia para esses RNPTs, pois, trará uma maior efetividade para a saúde ao longo da vida.

Na pesquisa de Saraiva e Liberato (2015) sobre a importância da fisioterapia no desenvolvimento motor de neonatos . A partir dos resultados encontrados, percebe-se que a fisioterapia tem um papel crucial na evolução do desenvolvimento motor das crianças, e isso ocorre principalmente quando é realizado de forma precoce.

CONCLUSÃO

Conclui-se, com o presente trabalho que crianças pré-termo apresentam atraso no desenvolvimento neuropsicomotor que ocasionam limitações globais e funcionais e a estimulação precoce proporcionará à esse bebê, experiências sensório-motoras para desenvolver ao máximo seu potencial neuropsicomotor. A fisioterapia como integrante da equipe de estimulação precoce é de grande relevância. Por meio da utilização de técnicas estimulam a aquisição de habilidades funcionais das crianças minimizando atrasos. Contudo, poucos estudos abordam a fisioterapia nesse contexto. Novos estudos devem ser realizados para fortalecer as evidências científicas.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS

DIRETRIZES DE ESTIMULAÇÃO PRECOCE Crianças de zero a 3 anos com Atraso no Desenvolvimento Neuropsicomotor Decorrente de Microcefalia

FERNANDES, L.V et al. Neurodevelopmental assessment of very low birth weight preterm infants at corrected age of 18-24 months by Bayley III scales. J Pediatr (Rio Janeiro). 2012;88:471-8.

HALLAL, C. Z.; MARQUES, N. R.; BRACHIALLI, L. M. P. Aquisição de habilidades funcionais na área de mobilidade em crianças atendidas em um programa de estimulação precoce. Revista Brasileira de Crescimento e Desenvolvimento Humano, [S.l.], v. 18, n. 1, p. 27-34, 2008.

LEMES, F. A estimulação precoce de prematuros e com baixo peso visando a adequação do desenvolvimento motor. 2017.

PINTO, M. et al. Intervenção motora precoce em neonatos prematuros, 2017.

SARAIVA, L.; LIBERATO, F. Importância da fisioterapia no desenvolvimento motor de crianças prematuras: uma revisão integrativa. EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires, Año 19, Nº 201, Febrero de 2015.

SILVA, A. A atuação da fisioterapia através da estimulação precoce em bebês prematuros. Revista. Eletrônica. Atualiza Saúde | Salvador, v. 5, n. 5, p. 29-36, jan./jun. 2017.

SMITH, G. et al. Neonatal intensive care unit stress is asso- ciated with brain development in preterm infants. Ann Neurol. 2011;70:541-9.

URZÊDA, R. N.; OLIVEIRA, T. G.; CAMPOS, A. M. et al. Reflexos, reações e tônus muscular de bebês pré-termo em um programa de intervenção precoce. Revista. Neurociência. v. 17, n. 4, p. 319 – 325, 2009.



Conteúdo Relacionado

Sem comentários

Adicione seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

×
Olá! Seja bem-vindo(a). Se tiver alguma dúvida, me procure. Estou a disposição para te ajudar.