Digite sua palavra-chave

post

5 Erros Frequentes Durante a Avaliação Funcional

5 Erros Frequentes Durante a Avaliação Funcional

A avaliação funcional refere-se a toda a gama de estratégias utilizadas para identificar os antecedentes e consequentes que controlam o comportamento problema sem que haja manipulação desses eventos. A avaliação funcional é um processo criado desde os primórdios da análise do comportamento aplicada, ganhando precisão conceitual e metodológica no final da década de 70 e no início da década de 80. 
 
Uma boa avaliação funcional, do movimento, pode determinar um bom caminho para a recuperação. Então, vamos listar 5 erros que podem ocorrer na avaliação funcional.
 
Falar os problemas durante a avaliação

Às vezes o profissional não se aguenta e quer pontuar todos os problemas em voz alta. Pode ser para o aluno ou outro profissional que está perto, sempre será um problema.

Ficar falando o tempo todo o que está errado faz mal psicologicamente para o aluno. Em primeiro lugar, ele se sente desconfortável e provavelmente envergonhado. Em segundo lugar, o aluno pode chegar a atrapalhar seu desenvolvimento porque descobriu suas falhas de uma maneira inadequada.

Evite esse comportamento especialmente ao dar aulas em grupo. Os pacientes se sentem ainda mais desconfortáveis quando estão na presença de colegas.

Quer dizer que ele não pode saber os próprios erros? Pode, mas no momento e do jeito certo. O psicológico do aluno consegue influenciar de maneira muito forte nosso trabalho, precisamos trata-lo com cuidado.

Insistir no movimento quando o aluno reclama de dor

O aluno estava fazendo o exercício e sentiu dor, mas você não conseguiu identificar o motivo. Ficar repetindo muitas vezes para que sua avaliação seja melhor é uma péssima ideia.

Repetir muitas vezes pode agravar o problema, aumentar a dor e deixar o aluno com bloqueios para fazer aquele movimento específico. No máximo repita mais uma ou duas vezes e troque de exercício.

Não ter foco na região avaliada

Esse erro parece óbvio, mas muita gente ainda tem problemas com ele. O corpo do aluno é um instrumento complexo que funciona de maneira conectada, mas nós nunca conseguiríamos observar tudo ao mesmo tempo.

Quando estiver montando seu protocolo de avaliação escolha o que quer avaliar em cada exercício. Durante a execução fique concentrado nesse fator e ignore os outros. Um protocolo de avaliação funcional bem-feito terá outras oportunidades para conferir tudo no corpo.

Não reavaliar

A reavaliação deve ser feita periodicamente. Devemos inserir avaliações em outros momentos da reabilitação. O começo é essencial, porém precisamos cuidar de todo o processo.

Continue avaliando seu aluno periodicamente. Eu não posso te dizer para fazer isso todo mês ou a cada dois ou três meses. É o profissional que precisa identificar qual é o melhor momento para fazer uma avaliação.

Não se basear na avaliação para o tratamento

A avaliação serve para descobrir o que fará uma reabilitação eficiente, certo? Então devemos nos prender a ela na hora de tratar o paciente.

Sempre que for preparar as aulas ou sessões, leve em consideração o que descobriu na avaliação. Se essas informações deixarem de ser suficientes significa que está na hora de avaliar aquele aluno outra vez.


Conteúdo Relacionado

Sem comentários

Adicione seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

×
Olá! Seja bem-vindo(a). Se tiver alguma dúvida, me procure. Estou a disposição para te ajudar.